29 de agosto de 2007

se ela dança, eu danço

hoje na dança eu comecei a considerar seriamente a hipótese de perguntar pra professora de processo civil se é possível acionar meus pais no procon. por defeito do produto de fábrica. tava fazendo aula na turma mais avançada e de repente a professora pede um daqueles movimentos que não fazem sentido algum: "salta de costas jogando a perna direita pra trás, com o braço fazendo giro e jogando o tronco pra baixo, dá meio giro, desliza a esquerda, faz arabesque saltando com a direita e bracinhos bonitinhos, meio giro ao contrário, repete até dar de cara no espelho". não havia cristo que explicasse pro meu corpo o que fazer! recionalizar o movimento não funciona, você fica mentalizando "desce o tronco, sobe, putz, tinha que ter ido o braço junto! pular? ãh??? pra onde??? o que diabos eu faço com a minha perna??? quem sou eu? onde estou? onde está wally???" e nada acontece. me dê qualquer livro pra ler, me peça pra estudar qualquer coisa. só não me peça pra ter coordenação motora.

enquanto eu esperava a aula da turma intermediária começar, fiquei xingando internamente o meu cabelo loiro, porque claro, isso, tem que influenciar em alguma coisa. daí entrou a minha irmã pra fazer aula junto comigo, no mesmo horário. e num exercício de improvisação eu tive, por um momento, a impressão de que a gente ia acabar se matando se não tomasse muito cuidado. ela não parece em nada comigo (baixinha, magra,cabelo preto, olho verde, é bonita). é muita coincidência só nisso a gente ser igual! taí, é culpa da carga genética!!!

(vou lembrar de culpar a carga genética quando eu cair do palco na apresentação de fim de ano)

Um comentário:

Angélica disse...

AHUUHAUHAUHAUHHUAUHAHU

QUASE ME MATEI DE RIR COM A EXPLICAÇÃO DO MOVIMENTO QUE VC TINHA QUE FAZER AAHUAHUAHUAHU

=P