23 de agosto de 2007

denial isn't just a river in egypt

tô com um gostinho de bile na boca. fui pra facul hoje só pra me estressar! (na verdade o objetivo principal era assistir aula de processo penal, mas o professor faltou. então tiveram 4 aulas de processo civil, que é até legal também, mas não é esse o caso! foooco, simone!)

tem mais ou menos uns 3 meses que uma das meninas com quem eu ando começou a dar pitis e patadas em meio mundo. mais nova que eu ( eu seeeei que age is not an accomplishment, and youth is not a sin), só teve um namorado na vida, da sala, com quem brigava todo dia e enchiiiia nosso pacová com as crises. pois bem, como vocês devem ter entendido, não funcionou. e ela, ao invés de aproveitar a feliz posição de "livre, leve e solta", decidiu virar a guardiã da moral e dos bons costumes (dos outros!). desde então, o resto do povo tem levado as mais diversas broncas, nos momentos mais absurdos e pelos motivos mais variados. eu, euziiiinha, moi, esta que vos fala, tem levado verdadeiros sermões pela irresponsabilidade de ficar assim, chegando atrasada na aula! a criatura estuda comigo a quase três anos e não entendeu que essa luta, minha cara... não tem como ganhar!

o stress do momento - é claro, é óbvio, é praticamente um letreiro em neon - são homens. essas criaturas do sexo masculino, muito úteis pra trabalhos que exijam força, ciências exatas e dormir de conchinha. a menina ainda não superou o recalque do fim do relacionamento (diga-se de passagem, eles terminaram nas férias... de dezembro!) e qualquer menção a namorados (seja o meu, seja o seu, só não sendo nosso que eu te encho de porrada) é motivo pra volta das patadas. chegou a tal ponto que eu me vi com duas opções: ou mandava ela ir dar (não no sentido de fornecer, vocês entenderam bem. afinal, libera serotonina e deixa as pessoas felizes!) ou cantava uma linda canção de amizade, amor e compreensão pra minha coleguinha. felizmente, alguém colocou panos quentes na situação e não rolou um fight no gel no meio da facul, ainda que muitos garotos em volta torcessem a favor.

o que ocorreu: outra garota do grupo acabou o namoro de cinco anos umas oito semanas atrás. ao contrário da nossa coleguinha, esta decidiu aproveitar a vida e desestressar. e desde então é uma pessoa mais feliz, dorme melhor, a pele está linda, etc! não que ela não fosse feliz com o namorado, mas ambos precisavam de umas férias.

assim começa, meus amigos, a nossa epopéia. e toda a minha birra com o sexo feminino e a sua incapacidade default de fábrica de ver outra mulher feliz no mesmo quilômetro quadrado. pra ela, a garota feliz é alguém que está passando o rodo, catando qualquer um, perdeu a linha. pro resto do mundo, ela é uma... menina solteira! e teeeente convencer a criatura que a errada é ela, que bem faria em imitar a outra, sair junto, pegar uns gatcheeeeeenhos nas buátchis, etc. mas não. ela não consegue ver que :

1º - o ex não vai voltar, ela não vai casar com o primeiro namorado e nem ele nem os próximos vêm com o acessório cavalo branco.
2º - a outra menina tá feliz? tá curtindo? roubou, matou, colou dela na prova? entãããão...
3º - porque diabos as mulheres precisam colocar as outras pra baixo por serem felizes?

o mundo já é feio tipo o tiririca e já pede que a gente trabalhe o dia todo, estude, faça um almoço e janta gourmet pra família, pegue o júnior e paty no colégio, faça sexo selvagem com o marido e o amante sem amassar a roupa, borrar a maquiagem ou colocar uma sandalinha mais baixa. o mundo já é machista e já enfia dezenas de regras de conduta goela abaixo da mulherada. porque diabos querer colocar pra baixo uma outra mulher (pior, uma amiga) só porque ela está feliz e você não? só piora a situação, daí são duas pra ter tpm o mês todo!

relações entre mulheres são políticas demais. mentiras brancas, pequenas falsidades que você acha que ninguém vai perceber. if you love enought, you'll lie a lot, já dizia a tia tori amos. a gente mente mundos e fundos pra manter a paz entre mulheres. isso é complicado demais pra mim, que prefiro juntar um bando de garotos e ir pro boteco falar merda, bem mais saudável mesmo contando as calorias da cerveja. eu desisto, i rest my case. todas as mulheres são neuróticas (eu mais que muitas), mas tem hora que a gente tem vontade de virar uma ervilha e rolar pela terra vendo umas por aí!

ps: obrigada pra dani, fornecedora do título e que me aguentou desabafando tudo isso hoje ;D

6 comentários:

Chantal disse...

Ahahaha, é né, essa aí precisa no MÍNIMO de um estoque de chocolates suíços.

Mulher é mesmo um bicho competitivo, sorte que eu nunca tive q aturar uma dessas a esse ponto, si, você é uma guerreira!

beijão!

disse...

essa história de ervilha tá mal contada simone.... vc sabe mto bem q ervilhas dominam o arroz mesmo q vc só coloque milho (?) no prato.... (experiência comprovada anteontem no por kilo ao lado do trampo)

mas pense, tem mulher q joga o homem pra baixo só pra se sentir superior.... estou vendo um nodo nó surgindo...

tiagón disse...

"Mulher é um bicho muito competitivo." - C. Darwin

:P

Angélica disse...

vc sabe que penso extamente como vc, tenho poucas amigas, que posso dizer amigas mesmo, de verdade, dá para contar nos dedos e sobra dedo... o.O

a mulher é muito competitiva, ela é capaz de tudo para estar por cima da carne seca, até de puxar o tabacol da sua amiga... é triste, mas é a realidade, tbm tenho mais amigos que amigas...

mas essa menina aí oh, sabe qual é o problema dela?

É esse aqui : http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=2203300

Mas nem se stressa si, ficar dando bola para esse tipo de gente é soh para ganhar uma ulcera nervosa...

tato disse...

Essa doidinha tá parecendo mulher mal-comida, cara.

Dani disse...

num mundo ideal, lindo e perfeito, com nuvens de algodão doce, mulheres seriam mais unidos. a gente já se ferra tanto, bem que poderíamos stand up for one another né? :P
mas olha, sempre que precisar, estamos aí! online quase o dia todo! :) bjs!